Nota Informativa

Integrado no programa de celebração do jubileu de prata da Federação das Colectividades de Cultura e Recreio do Concelho de Santa Maria da Feira, “Numa Noite Um Ano Inteiro” será apresentado no Auditório do Europarque, no dia 24 de novembro, pelas 21h45.

Espetáculo criado de raiz pela Área de Folclore e Etnografia da Federação das Colectividades, no âmbito do projeto Feira com Tradições, com encenação de Carlos Reis e o apoio da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, “Numa Noite Um Ano Inteiro” propõe-se arquitetar de forma vibrante um espaço de memórias, onde se resgatará o passado a partir do presente, preservando-se e divulgando-se a sabedoria e cultura tradicional e popular, nos seus usos e costumes, valorizando-se essas inestimáveis referências identitárias e reanimando-se a memória coletiva. Assim sendo, levar-se-ão a cena as vivências mais significativas do povo, durante um ano, num conjunto de quadros que abrangerão representações desde o tempo de Reis até à quadra do Natal.

“Numa Noite Um Ano Inteiro” é, portanto, o assumir de um compromisso que honra algumas das maiores e mais significativas riquezas das nossas gentes: o património cultural imaterial e a herança histórica concelhios, enquanto expressão da nossa identidade local, assim como o nosso sentido de coesão e de comunidade e os inquestionáveis valores ancestrais que queremos acolhidos por entre as mãos das gerações vindouras.

De igual forma, representa uma oportunidade de confraternização entre os diversos grupos da área do Folclore e Etnografia do concelho, oferecendo-lhes momentos de partilha de experiências, valores e saberes; e congregando-se, assim, o tecido folclórico e etnográfico concelhio, estar-se-á, igualmente, a engrandecer ainda mais a prática do Folclore, com verdade e autenticidade, e a alargarem-se as fronteiras geográficas da alma feirense.

Os bilhetes encontram-se já à venda, na Federação das Colectividades de Santa Maria da Feira, junto dos Grupos de Folclore participantes do concelho, no sítio www.bol.pt e na Loja Interativa do Posto de Turismos da Câmara Municipal, pelo valor de 6€, até ao dia 5 de novembro. A partir dessa data, o valor do bilhete passará a ser de 8€.

Grato pela atenção prestada, com os melhores cumprimentos.

 

Afonso de Jesus

ederação das Colectividades de Cultura e Recreio do Concelho de Santa Maria da Feira

Nota Informativa ::: "Numa Noite Um Ano Inteiro"

 

 Caros amigos folcloristas,

No dia 8 de janeiro, a direção da FFP completou um gratificante e laborioso ano de mandato tendo-se firmado passos resolutos na afirmação, credibilização e crescimento institucional amplamente ambicionado por nós todos. Podemos, hoje, afirmar, convictamente, que o nosso movimento se tornou mais plural, dinâmico e reconhecido.

Para tal, trabalhámos em equipa: órgãos sociais, estruturas descentralizadas e conselheiros técnicos, colaboradores(as), agentes culturais associados e não associados, instituições congéneres, assim como paceiros políticos e empresariais à descoberta de novas possibilidades, novas potencialidades, novas abordagens e novos projetos impulsionadores e amplificadores da nossa missão institucional… da nossa mensagem.

De igual modo, trabalhámos com abertura democrática procurando envolver todos os agentes culturais na construção da nossa instituição e da sua missão cultural dando-lhes voz ativa nos destinos do movimento e na conceção das diversas ferramentas de trabalho enquanto procurámos maior proximidade com as nossas bases: os grupos de folclore.

Nem todos os objetivos foram alcançados da melhor forma. Ficaram ainda algumas ambições por concretizar. Não obstante, em contrapartida, muitos foram os êxitos que nos encheram de orgulho e satisfação tornando o ano de 2017 um momento onde foi possível retirar preciosas aprendizagens permitindo traçar melhorias significativas onde necessário.

A instituição cresceu em várias frentes admitindo novos associados, criando protocolos de cooperação com outras instituições e federações, criando novos CTRs em regiões/países desprovidas destas estruturas, celebrando acordos/protocolos de cooperação, realizando consultas públicas e inquéritos de satisfação aos associados, melhorando e criando condições financeiras vantajosas para os associados em diversos setores (seguros, transportes e combustíveis), realizando reuniões de direção descentralizadas pelo território nacional, produzindo documentação estruturante para o movimento, promovendo formação diversa dispersa por todo o território nacional e além-fronteiras, reunindo com as diversas tutelas, consolidando financeiramente a instituição, melhorando e tornando os procedimentos administrativos e financeiros mais transparentes e funcionais…

Sem grande aprofundamento, quisemos, neste momento, dar conta do trabalho desenvolvido e agradecer a todos aqueles que de qualquer forma se associaram a este projeto e contribuíram para construir este caminho renovado edificando uma federação de todos e para todos, rumo aos desafios do futuro.

Bem-hajam!

A direção da Federação do Folclore Português

Um ano de mandato

Federação do Folclore Português divulga resultados do inquérito de satisfação aplicado aos serviços prestados pela instituição

 

As instituições devem procurar, cada vez mais, desenvolver uma ação esteada no primado da qualidade. Entre outros aspetos, tal passa por proceder a uma avaliação interna regular das mesmas. Gerir uma instituição, ambicionar ser melhor, ter uma visão de futuro suficientemente clara e projetada para mobilizar esforços no trilhar de caminhos de inovação, excelência e da melhoria contínua não constitui tarefa fácil.

No entanto, é o que hoje se exige aos responsáveis da FFP. A gestão para a qualidade torna-se, assim, uma problemática incontornável nos desígnios da FFP.

A avaliação e a busca da qualidade deve ser uma questão colocada com particular acuidade quando se trata da instituição responsável pelo movimento folclórico nacional no que se refere às suas competências e capacidades de intervenção. Este processo assume um papel determinante para o sucesso de toda uma melhoria contínua no seio do movimento folclórico nacional ao mobilizar esforços e dar visibilidade às medidas de melhoria (tanto as ambicionadas como aquelas já alcançadas pela instituição).

Uma gestão para a qualidade implica a definição de um projeto de monitorização contínua de todo o sistema federativo, pilotando o processo de avaliação dos grupos, avaliando o seu impacto e, simultaneamente, proporcionando momentos de autoavaliação da instituição em si dando voz àqueles que são o alvo das preocupações e esforços da FFP: os grupos de folclore associados.

A aplicação regular (anual) de inquéritos de satisfação a todos os associados relativos ao desempenho das diversas estruturas federativas fornece um importante e pertinente conjunto de informações permitindo uma reflexão introspetiva sobre resultados, práticas e experiências inovadoras (ou não) da FFP, contribuindo para a disseminação de boas práticas e estratégias de ação institucional.

A implementação do processo simplificado de gestão para a qualidade na FFP, com a aplicação de inquéritos de satisfação junto dos associados, permite:

a)      Mobilizar esforços na melhoria contínua da ação institucional, com o envolvimento do movimento folclórico;

b)      Dar visibilidade à qualidade da ação institucional e aos projetos da FFP;

c)      Proporcionar apoio à decisão estratégica da FFP indo ao encontro das expectativas dos associados;

d)      Divulgar dados sobre o desempenho do movimento (associados e FFP) como um todo no que se refere aos projetos, sucessos, impacto, satisfação, entre outros;

e)      Contribuir para a melhoria das práticas e dos processos institucionais;

f)       Apoiar a reflexão sobre as práticas existentes nos grupos de folclore e na própria FFP;

g)      Proporcionar um retrato sobre o desempenho dos grupos de folclore nacionais assim como do próprio desempenho da FFP.

Neste inquérito de satisfação que ocorreu entre os dias 5 e 20 de novembro, colocaram-se três conjuntos de questões centradas: a) no desempenho dos serviços administrativos; b) no desempenho dos CTR; c) no desempenho global da FFP.

Obteve-se um total de 189 respostas correspondendo a 31.6% de taxa de resposta distribuídas da seguinte forma: 

Cerca de 56% dos grupos que responderam possuem mais de 20 anos de associado, 9% entre 15-20 anos, 7% entre 10-15 anos, 14% entre 5-10 anos e 14% entre 0-5 anos. Relativamente ao tipo de associado respondente, 79% são sócios efetivos e 21% são sócios aderentes.

 

Desempenho dos serviços administrativos

Como classifica a qualidade das respostas prestadas pelos serviços administrativos?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Muito bom

26

14%

Bom

117

62%

Satisfatório

41

22%

Fraco

5

2%

 

Como classifica a celeridade de resposta dos serviços administrativos?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Muito bom

22

12%

Bom

109

58%

Satisfatório

53

28%

Fraco

4

2%

Muito fraco

1

0%

 

Como classifica a atenção e o trato que as funcionárias da FFP lhe dispensam?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Muito bom

59

31%

Bom

96

51%

Satisfatório

29

15%

Fraco

5

3%

 

Desempenho dos Conselhos Técnicos Regionais

Como classifica o acompanhamento prestado ao seu grupo pelo CTR da sua região?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Muito bom

39

21%

Bom

63

33%

Satisfatório

54

29%

Fraco

21

11%

Muito fraco

12

6%

 

Como classifica a importância do CTR para o desenvolvimento do seu grupo?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Muito importante

66

35%

Importante

92

49%

Pouco importante

12

6%

Sem importância

3

2%

Irrelevante

16

8%

 

Como classifica o empenho do CTR da sua região?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Muito bom

42

22%

Bom

69

36%

Satisfatório

52

28%

Fraco

19

10%

Muito fraco

7

4%

 

Como classifica o trato e a cordialidade do CTR da sua região?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Muito bom

64

34%

Bom

69

36%

Satisfatório

21

39%

Fraco

14

7%

Muito fraco

3

2%

 

Como classifica a relação do seu grupo com o CTR da sua região?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Muito boa

63

33%

Boa

71

38%

Satisfatória

36

19%

Fraca

12

6%

Muito fraca

7

4%

 

Reconhece competência técnica ao CTR da sua região?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Sim

154

83%

Não

12

6%

Não sei

21

11%

 

 

Desempenho global da FFP

A FFP promove atividades culturais nas quais o seu grupo se revê?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Sim

160

85%

Não

13

7%

Não sei

16

8%

 

O plano anual de atividades da FFP correspondeu às suas expectativas?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Sim

128

68%

Não

25

13%

Não sei

36

19%

 

A FFP desenvolveu projetos promotores do folclore e da etnografia portugueses em 2017. Como classifica esses projetos?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Muito bom

25

13%

Bom

95

50%

Satisfatório

63

33%

Fraco

5

3%

Muito fraco

1

1%

 

A FFP preocupa-se com o bem-estar e melhor funcionamento dos grupos. Como classifica os protocolos estabelecidos em 2017 (transportes, combustíveis, seguros, autarquias)?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Muito bom

38

20%

Bom

97

51%

Satisfatório

41

22%

Fraco

11

6%

Muito fraco

2

1%

 

Como classifica o desempenho da direção da FFP na afirmação social do nosso setor do movimento associativo?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Muito bom

43

23%

Bom

91

48%

Satisfatório

45

24%

Fraco

8

4%

Muito fraco

2

1%

 

Como classifica o desempenho do Gabinete de Comunicação e Imagem da FFP?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Muito bom

26

14%

Bom

100

53%

Satisfatório

56

30%

Fraco

6

3%

Muito fraco

1

0%

 

Caso tenha utilizado os serviços do Gabinete de Relações Internacionais, como classifica o seu desempenho?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Muito bom

10

5%

Bom

32

17%

Satisfatório

13

7%

Fraco

2

1%

Muito fraco

2

1%

Não utilizou

130

69%

 

Os projetos que a FFP se encontra a desenvolver são importantes para o futuro do nosso setor do movimento associativo?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Sim

145

77%

Não

2

1%

Não sei

42

22%

 

A FFP encontra-se atualmente mais credibilizada?

Classificação

Total de respostas

Percentagem de resposta

Sim

137

72%

Não

9

5%

Não sei

43

23%

 

Pelos dados recolhidos, constata-se que a resposta dominante na quase totalidade do inquérito incide na classificação de “Bom”, por vezes seguida de “Muito Bom”. Aliás, em muitos casos, a soma das respostas “Bom” e Muito Bom” totalizam 70% ou mais de respostas obtidas deixando os responsáveis pela FFP satisfeitos com o trabalho que têm vindo a desenvolver e a perceção que os associados apresentam a este respeito.

Todavia, parece ser o setor dos Conselhos Técnicos Regionais que necessita de maior atenção uma vez que a diferença entre as classificações de “Muito Bom”, “Bom” e “Satisfatório” se encontram mais homogéneas. No entanto, revela-se como muito positivo verificar que 83% dos grupos reconhecem competência técnica aos seus conselheiros técnicos.

Não obstante, os procedimentos seguintes incidirão numa análise pormenorizada de todos os dados obtidos neste processo de consulta pública de modo a aferir os pontos fortes e os pontos fracos da ação institucional procurando determinar medidas promotoras de melhoria contínua do desempenho dos serviços prestados tanto ao nível global como sectorizado da instituição.

Este primeiro inquérito de satisfação revelou-se de extrema relevância pois será o ponto de partida para futuras análises evolutivas. Tratando-se de uma ferramenta fundamental para alcançar metas de qualidade almejada pelos responsáveis da FFP, será aplicado novo inquérito em novembro de 2018 permitindo cruzar informações que determinarão a existência, ou não, de uma clara melhoria dos serviços prestados.

A direção da FFP agradece, desde já, a todos os grupos que participaram neste importante momento de avaliação da FFP e apela para que, futuramente, haja cada vez maior participação dos grupos associados por forma a traçar um projeto federativo participado, democrático e de todos.

Inquérito de Satisfação FFP - 2017

Deslocação à Madeira

 

Nos passados dias 22 a  de novembro uma equipa da Federação do Folclore Português deslocou-se à Madeira para uma nova sessão de trabalho junto dos Grupos Madeirenses associados da AFERAM e que integram um projeto que visa o registo das recolhas dos Grupos.

Esta equipa foi composta pela coordenadora das ilhas e comunidades, Emília Francisco, o responsável do Gabinete de Comunicação e Imagem, Fábio Pinto e a Prof. Marina Perestrêlo, Coordenadora do CTR Douro Litoral Sul, que se juntou a convite do Grupo de Folclore da Ponta do Sol para fazer uma apresentação sobre a importância do registo das recolhas, tendo por principal objeto, o seu livro “Alma do Povo a que Pertenço” que em breve verá nascer o segundo volume.

Num primeiro momento, a FFP reuniu com a AFERAM de forma a poder confirmar a assinatura de protocolo de parceria e para se inteirar do andamento dos trabalhos com os Grupos, que no dia seguinte fariam a apresentação pública da primeira fase do projeto que a AFERAM está a desenvolver “Referencial de Boas Práticas”.

Na Ponta do Sol estiveram então reunidos 13 Grupos com um total de 120 elementos para apresentar o resultado da primeira fase do projeto .

Trabalho meritório, sério e refletido, será talvez a melhor forma de adjetivar aquilo a que a equipa da FFP pôde assistir. Um vasto conjunto de temáticas foram apresentadas, desde o seu processo de recolha, à reflexão, e agora ao registo, de forma cuidada e metódica, seguindo o Processo Técnico da FFP e as orientações deixadas pelo Sr. Presidente na sua primeira deslocação à região à apenas nove meses atrás. Sem dúvida que o trabalho terá de prosseguir, mas é com elevada satisfação que a FFP regista a rápida evolução que este projeto está a ter, a forma como os Grupos Madeirenses o abraçaram, percebendo a sua verdadeira importância na salvaguarda do património da sua região, e o número de jovens presentes, mostrando que, há uma “ligação entre quem fez a recolha e quem assumirá o futuro dos Grupos”.

De ressalvar a presença da Dr. Natércia Xavier, que à altura do arranque deste projeto ocupava o papel de Secretária Regional da Cultura, que, numa conversa informal partilhou uma visão fantástica sobre o porquê de acreditar tanto neste projeto, o ter apoiado e o querer acompanhar. De facto, só com o registo e alguma reflexão, poderemos mostrar aos outros ramos das ciências sociais que o trabalho dos Grupos de Folclore é bom, interessante, organizado e válido. Como nos foi dito, é preciso despertar o interesse dos outros ramos das ciências sociais para este e não continuar este a andar de volta da antropologia e dos demais sem que haja uma relação de troca de conhecimento e credibilidade entre ambos.

Houve ainda tempo para dar formação ao CTR Madeira sobre como realizar uma visita técnica e acompanha-los na primeira visita que fizeram, após a sua nomeação em Março de 2017, ao Grupo de Folclore de Ponta do Sol.

Temos em crer que esta equipa Madeirense, foi pensada e refletida e que o futuro nos trará muitas e agradáveis surpresas.

Para 2018 haverá nova reunião com os Grupos Madeirenses, no Porto Santo, onde a FFP tem alguma expectativa em tornar os 10 grupos não associados (3 já o são), em membros aderentes à FF, para que esta caminhada seja fortalecida e o folclore madeirense sinta que a FFP está empenhada em ajudar a preservar a memória da região.

 

 

Deslocação à Madeira